29 de novembro de 2008

uma folha cai

o vento
varre
o chão
e tudo mais

sujando todo o lugar

16 comentários:

  1. pelo menos o chão é sempre uma tela em branco

    ResponderExcluir
  2. Ah, esse menino...
    Assim como o vento
    Irradia tudo por onde passa.
    A diferença entre os dois
    É que um dissipa
    E o outro inspira.

    ResponderExcluir
  3. Interessante esse poema...

    fiz um blog novo...

    se quiser dar uma olhadinha...


    http://absolutamenteeu-nadja.blogspot.com/


    :*

    ResponderExcluir

  4. "uma folha cai"

    ainda bem! que caiam aos milhares... folhas e mais folhas levadas pelo vento...

    imagina, ainda bem que folhas "sujam" as ruas e não nos deixam caminhar apenas entre plásticos, papéis e outras substâncias orgânicas... rs

    que caiam mais folhas!!!

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem ?

    Queria agradecer sua visita no meu cantinho, enfim, nosso né.
    Fiz uma postagem lá, da poesia que fez, e que teve lembranças, deixando o link.

    A li, duas vezes, muito linda, me aprofundei nas palavras, pra mim, teve um efeito e uma mensagem incrível, que bom é podermos ter essa dádiva, de nos acharmos em meio ás palavras.

    Depois dá uma olhada, a homenagem é pra vc, já que a poesia veio da sua alma, muito profunda e bela.

    O vento varre o chão e tudo mais...
    Graças a Deus por isso.
    Temos tb a opção de limpar depois.

    Grande beijo,
    Christi

    ResponderExcluir
  6. ...e temos a impressão que não foi o chão que se varreu no vento...

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  7. Sugando tudo, de preferência os passos errados.

    Adorei!

    Uma semana iluminada meu querido.

    Bjos de luz!

    ResponderExcluir
  8. Soprando a brisa
    Suave ou insana
    Ventos, ventos, ventos
    Tragam a novidade
    Varram o que seco já está
    Façam a vida andar...

    Belos os teus ventos querido! E eu amei seu post no 7kbças...


    Um sorriso laaaargo

    ResponderExcluir
  9. E lembre-se no Brasil é proibido queimar folhas no quintal de casa. :o

    mas afinal o poema é um tributo a natureza ou uma reclamação urbana???

    ResponderExcluir
  10. Nem um, nem outro, caro LúciDo...

    ResponderExcluir
  11. Faaala, meu chapa!!! Bom te ver por essas bandas de novo, firme e forte como sempre!! Somos nozes!

    Gosto das suas poesias! Grande cumpadi!

    Abração!!!

    ResponderExcluir
  12. Uma vassoura de folhas
    tem cabo de vento.


    Abraços, folhas, estrelas..

    ResponderExcluir
  13. Poxa, que poeminha chocho... Mas, dias melhores visão. Bjs...

    ResponderExcluir