29 de novembro de 2008

26 de novembro de 2008

Sobre terras-natais

Não importa
pra onde quer que eu vá
minhas raízes estão ali

Se saí dali
foi pra não me tornar
um vegetal

23 de novembro de 2008

16 de novembro de 2008

Ultraleve

que nos ultraleve os ventos
para caminhos tão plenos
onde os nossos pensamentos,
por demais, sejam amenos.


Um presente de Octávio Roggiero Neto, inspirado no meu escrito anterior, "Já que eu não posso te levar..."

Obrigado, amigo! =)

13 de novembro de 2008

1 de novembro de 2008

Entendimento (nenhum)




Visitem o LISTEN TO ME, PORRA!!!









Viver
assim, simplesmente
ultrapassaria algum entendimento?

E viver
assim, sem entender
seria algo além de dor,
alegria
- eterno placebo da dor -
e outros sentimentos sem importância,
meras efemérides?

Existiria amor?

(Talvez
amor
seja apenas
coisa da nossa cabeça,
pura banalidade...)

E viver,
por acaso,
é algo
além disso?

Creio que nunca entenderei...

Por isso,
continuo vivendo...

Quem sabe,
no final,
eu entenda...








Ah! Tem escrito novo no LISTEN TO ME, PORRA! Não deixem de conferir!