12 de julho de 2010

Península

a mãe-terra
insiste em nos segurar

numa queda-de-braço
com esse braço-de-mar

que nos puxa


desgarrar-se


é   u m   p r o c e s s o


n   a   t   u   r   a   l   m   e   n   t   e



l     e     n     t     o





mas é sempre
certo

10 comentários:

  1. O certo é desgarrar-se.


    :)

    ResponderExcluir
  2. Só me resta aplaudir, meu camarada!
    clap-clap-clap!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Agarro-me à ponta de esperança
    até tocar o sol
    e la bela luna

    ResponderExcluir
  4. Bela tua poesia de movimentos tectônicos. Muita sensibilidade do poeta que sente tais movimentos da terra, tão sutis...

    ResponderExcluir
  5. Abraço de mãe... Terra.
    :)
    http://pulsarpoetico.zip.net

    ResponderExcluir
  6. Mesmo quando somos certos de pouca coisa, rs.

    Grande, Fejón...

    Abraços e contemporâneas invenções!

    ResponderExcluir
  7. Bem bacana esse...

    Gostei muito da nova cara do blog (pelo menos nova pra mim).

    Mudei também a cara do meu e tentarei voltar a atualizá-lo.


    Abs,
    REMO.

    ResponderExcluir
  8. Abraço estreito e convite:

    www.espacointertextual.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. certíssimo ...
    a mãe-terra, vai ver precisava de uns plásticos, vai saber pq e necessitou da espécie humana para criá-los ...

    essa eu ouvi de um humorista norte-americano muito bom .. vale a pena vc ver o vídeo dele no youtube - save the planet ... onde ele fala da arrogância humana em achar que pode destruir o planeta, quando o planeta sobrevive há bilhões de anos, com ou sem nós .. e que qualquer terremoto revela o quanto somos frágeis perante o planeta ...

    é um texto muito bom .. te deixo o link ...o nome dele é George Carlin - save the planet

    http://www.youtube.com/watch?v=X_Di4Hh7rK0

    bjos querido ...

    ResponderExcluir