15 de fevereiro de 2008

E se,
nesses
momentos
de
descontração,
distração,
divertimento...

Um sentimento
me traísse
e me ferisse
o coração?

E se
você
visse,
ouvisse os
absurdos
que eu disse
outrora,
estando
não
são?

E então?
Qual seria
a tua
reação?

E se
você
partisse,
como disse
que faria,
sem o meu
consentimento?

O que eu faria?
Ouviria,
nessa hora,
meu próprio
lamento
de solidão?

E se
déssemos
um jeito
de alentar
a dor
nesse
nosso
peito?

Esqueceríamos
toda
essa
traição?

E se
vivêssemos
apenas
de ilusão?

Seria ruim?
Seria bão?
O que seria?

E se
fosse
tudo
verdade
essa patifaria
que vejo
na televisão?

Estaria
eu
são?

Esses
tempos
de
crise...

Seriam
algum tipo
de
transição?

E se
isso,
na verdade,
fosse
tudo
uma
maldição?

Esse
mundo
em
que
vivemos,
afinal...

Existiria
toda
essa
vida
em vão?

Estarìamos
nós
próximos
do
final?

Mas
nós
não
somos
a união
do
Bem
e
do
Mal?

Que tal
se
fôssemos
como se deve
ir...

Partindo
do
começo
e sem pensar
na conclusão?

Acreditando
que
é
pra sempre...

Até que
tudo
se
acabe
Bem ou Mal...

Loucos
ou não,
estamos
aqui...

Salvos
e
sãos.

5 comentários:

  1. Nossa, adorei! Poema bem direto, falou bem o que queria.


    bjos e boa semana!

    ResponderExcluir
  2. sei que eu já disse isso antes em outros poemas... mas é a primeira coisa que me vem em mente
    "adorei as rimas"
    e tmb gostei da formatação... ficou facil de ritimar a forma como vc queria que o poema fosse lido.

    ResponderExcluir
  3. dudu pererê22/02/2008 11:27

    ritmo,palavras e barulho de embolada. Muito bem bolado!Bom de ler e ouvir.parabéns

    ResponderExcluir
  4. Até dava música meu caro, facilmente!

    ResponderExcluir
  5. Não sei explicar o que precisamente, mas gostei muito disso aqui.

    Abs,
    REMO

    ResponderExcluir