13 de novembro de 2008

Já que eu não posso te levar...

Vida
Leve
Vento
Bate
Forte
Leva
Tudo
Mundo
Afora

Simbora

Agora

Eu vôo

Seguindo a vida
Até a morte

11 comentários:

  1. O fim é sempre um novo começo de vida. Um vôo tem sempre seu pouso e nova decolagem... Somos cíclicos, até a morte

    Sou um vento.

    Hoje meu mundo está de cabeça pra baixo, era isso que eu precisava. Sinto paz, ando mais leve. A tempestade se foi e os escombros me ensinam quem sou...

    Avoé!

    ResponderExcluir
  2. e muito para além dela. Há muita vida!

    ResponderExcluir
  3. O mais gostoso da vida é saber que ela "acaba" justamente no dia em que você está com uma taça de vinho na mão.

    Um brinde ao infinito!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. que nos ultraleve os ventos
    para caminhos tão plenos
    onde os nossos pensamentos,
    por demais, sejam amenos.

    acabei de fazer esta trova, com seu poema de fundo. dedico-a pra você, meu irmão e companheiro de versos!

    ResponderExcluir
  5. Extremamente lisonjeado, caríssimo Octavius!

    Com a permissão do amigo, o publicarei no EscúchamePorra já amanhã!

    ResponderExcluir
  6. meu amigo, claro! você tem toda permissão e eu toda a alegria por você ter gostado da trova. ela nada mais fez que abraçar o seu poema que estava de braços abertos, e fomos juntos com o vento, num leve pensamento que nos levou!

    meu abraço mais forte e fraterno!

    ResponderExcluir
  7. e há de se ter muita sorte para.

    belo, belo.

    \o

    ResponderExcluir
  8. anda lendo meus pensamentos? rs.

    ResponderExcluir
  9. leve, a vida voa
    vento afora
    lento, escoa
    o tempo agora

    ResponderExcluir
  10. que bom, nunca senti vento no rosto com um poema! LEGALlllll

    ResponderExcluir