28 de fevereiro de 2011

do último abismo
do qual caí
só lembro

da espera
desesperada

do encontro com o chão

e da nada suave
queda

4 comentários:

  1. Gosto de pensar que o abismo está próximo da outra superfície.

    Agora, o sempre diálogo do tempo né? A fração dos segundos de uma queda podem ser tão intensa quanto uma vida inteira na zona de conforto ;-)

    Abraços e suspensas invenções!

    ResponderExcluir
  2. Doeu aqui também...

    Um abraço!

    ResponderExcluir